Aos golinhos

Se posso dramatizar Se posso sentir na pele ardendo, queimando Se posso escutar Se posso balbuciar Se posso sentir os olhos brilhando, acesos Se posso tocar Se posso sentir o gosto a propósito delicioso Se posso ouvir tua voz... Então, outra vez, Se posso plagiar Quero beber tua alma Aos golinhos!

Fuga na tempestade

Esta semana eu quase não dormi, vi o dia nascer pelo menos três vezes Fui dormir depois das quatro pelo menos duas e as outras nem sei mais Olho as luzes da minha janela, os carros tão pequenos passando velozes lá embaixo Encostada no beiral com uma taça de vinho na mão, sem sequer experimentar... Continue lendo →

Minha língua (portuguesa)

Faço um diagrama arbóreo Com teu nome, uma ação Te faço meu predicado Te transformo em verbo transitivo Intransitivo Te vejo como meu objeto direito Te trato como objeto indireto Te agarro como sujeito, não te solto Minha proparoxítona Meu verbo divino Minha construção textual Meu enredo, minha história Completa, princípio, meio, fim

Don’t abuse her

Você já parou pra pensar na força que você tem e, muitas vezes, nem você sabe que tem? Você já se olhou no espelho, bem lá no fundo dos seus olhos, e disse o quanto ama a si mesma? Você já notou que pode muito bem ser feliz sozinha e, inclusive, pode ser muito mais... Continue lendo →

Na contramão do amor

Algumas das suas atitudes, meu amor Liquidificam o que sinto por você O amor é - ou deveria ser - sólido Permanecendo por muito tempo Mas não para sempre Porque que não acredito em "para sempres" Os sentimentos, em mim, começam em ebulição Com o tempo, se solidificam À medida em que certezas aparecem À... Continue lendo →

Chove ou faz calor?

Eu ia dizer que não vou mais escrever por você ou para você, muito menos sobre você E eu ia dizer também que nada que vem de você me afeta Que não sonho mais com dias coloridos de verão do seu lado Mas eu prefiro não tentar mentir agora, já que não temos mais que... Continue lendo →

WordPress.com.

Acima ↑